ESTAÇÕES DIFERENTES

"The most important things are the hardest things to say. They are the things you get ashamed of, because words diminish them - words shrink things that seemed limitless when they were in your head to no more than living size when they're brought out. But it's more than that, isn't it? The most important things lie too close to wherever your secret heart is buried, like landmarks to a treasure your enemies would love to steal away. And you may make revelations that cost you dearly only to have people look at you in a funny way, not understanding what you've said at all, or why you thought it was so important that you almost cried while you were saying it. That's the worst, I think. When the secret stays locked within not for want of a teller, but for want of an understanding ear."

Stephen King - "Different Seasons"


Partilhar informação @ estacoesdiferentes@gmail.com

quarta-feira, fevereiro 04, 2015

Não há a mínima dúvida que a liberdade está associada ao dinheiro. É triste dizê-lo, mas a medida da liberdade de cada pessoa associa-se à quantidade de nãos pragmáticos que pode dizer, em respeito pela sua integridade mínima.
É uma premissa absolutamente triste, pois o exercício do poder, nas suas mais variadas asserções, está intimamente ligado a essa capacidade de manter o essencial, por mais que este se distinga de pessoa para pessoa.
Não é dramático, é só triste. E embora haja a obrigação ou necessidade de continuar a tentar, fica o alívio de não ser necessário render algumas coisas em nome de uma paz que não seja fundamental. Em suma, cumprir obrigações, mas não à custa de aceitação de outros exercícios de poder. Não se tem de aceitar tudo. E sinceramente, não quero, nem acho que ninguém queira ser aceite sem fazer qualquer ideia de qual o seu contributo sem ser pragmático.
É simples.




1 comentário:

calamity disse...

compaixão é embalar sem medo, acolher sem achar que o bicho vai mostrar os dentes ou mudar de pele.
E ter a esperança de que talvez os seus olhos encarem o escuro como outrora